Qual a melhor plataforma de virtualização ( ou Hypervisor)?

Qual a melhor plataforma de virtualização ( ou Hypervisor)?

Responder esta pergunta é como tentar responder: Qual o melhor sistema operacional (Linux ou Windows) ou comparar Apple IOS versus Google Android. A minha resposta preferida para estas questões é: Depende.

O mesmo vale para determinar qual a melhor plataforma de virtualização ou qual o melhor Hypervisor. Tentar responder esta questão de forma racional pode levar a discussões apaixonadas e calorosas. Creio que não exista uma plataforma melhor ou pior, mas sim produtos que melhor se adequam a casos específicos de uso, orçamento, necessidades, etc.

Para trazer luz sobre este assunto, elaborei um ranking com as quatro principais plataformas de virtualização do mercado: Vmware VSphere/VCenter Server, Microsoft Hyper-V,  XenServer e Linux KVM.

 

1º. Vmware VSphere / VCenter Server

Aqui o peso da idade e o pioneirismo pesam a favor, por ter sido a pioneira em virtualização de servidores x86 a plataforma VSphere em conjunto com o VCenter oferece um conjunto de funcionalidades avançadas como High Availability, VMotion, Dynamic Resource Scheduler, Dynamic Power Management, Storage IO Control, Virtual Volumes, Fault Tolarance entre outras. Somam-se as funcionalidades a estabilidade, uso reduzido de memória do hypervisor e em minha opinião o melhor gerenciamento de memória e agendamento de CPU. Adicionalmente existe uma enorme base instalada de clientes satisfeitos, aliada a facilidade de uso e a grande oferta de serviços profissionais e treinamento.

Um fator importante que favorece a plataforma da Vmware é ecossistema de soluções e parceiros, temos uma HCL (Hardware Compatibility List) farta e a validação de soluções empresariais como os ERP’s fornecidos pela SAP e Oracle, validadas para execução sobre VSphere, adicionalmente existe elevado número de softwares que se integram ao VCenter oferecendo funcionalidades como Anti-malware e backup sem a necessidade de instalação de agentes nas máquinas virtuais.

Seguindo a tendência da Hiperconvergência temos as soluções Vmware VSAN e NSX que se integram perfeitamente ao VCenter permitindo uma administração centralizada em uma console comum.

Como nem tudo são flores, os custos das licenças e subscrição são elevados e consequentemente quanto maior o ambiente, maiores os custos, pois o licenciamento é por CPU.

 

2º. Microsoft Hyper-V

O segundo colocado nesta comparação tem como grande benefício o custo relativamente acessível e a facilidade de uso tradicional dos produtos da Microsoft. Com o Windows 2016 o Hyper-V evoluiu bastante, porém ainda existem gaps de funcionalidades em comparação com a solução da Vmware, outro ponto desfavorável ao  Hyper-V é o fato do consumo de recursos elevados do próprio Windows (apesar da oferta no Windows 2016 de instalar o Hyper-V com a opção Nano Server, resta saber se esta opção de instalação será adotada massivamente).

Para quem utiliza a oferta de nuvem pública Azure ou pretende migrar ou adotar uma estratégia de nuvem hibrida no futuro, a cereja do bolo é a oferta do Azure Stack onde é possível obter a mesma experiência do Azure na nuvem privada, porém o Azure Stack é mais que o Hyper-V, sendo vendido como um sistema integrado e inclusive com um modelo de licenciamento baseado no pagamento conforme o uso.

Tratando-se da Hiperconvergência o Hyper-V pode ser utilizado juntamente com Windows Storage Spaces e com o Hyper-V Network Virtualization tornando-se uma opção interessante para quem pensa em adotar o modelo de Datacenter Definido por Software.

 

3º. Linux KVM

No terceiro e quarto lugares desta comparação, temos duas soluções “Open Source”, a vantagem do Linux Kernel-Based Virtual Machine (ou simplesmente KVM) pode-se resumir basicamente na afinidade com o OpenStack (embora podemos utilizar outros Hypervisors). Outra vantagem do KVM é a possibilidade de se obter suporte de alto nível desde que adquirido através de ofertas dos grandes players Linux como RedHat (RedHat Virtualization), SuSe e Ubuntu.

Outro ponto que favoreceu o KVM é o fato de ser um projeto mais recente e que está integrado diretamente ao Kernel do Linux o que tende a apresentar uma performance melhor, ademais existe uma comunidade de desenvolvimento em torno do projeto mais ativa. Adicionalmente existe um ecossistema de soluções  de terceiros em formação em torno do KVM.

Em termos de Hiperconvergência temos ofertas como o CEPH para a implementação de armazenamento (Storage) combinados com o KVM.

 

4º. XenServer

Apesar de ser um projeto maduro (desde 2003), o Xen ainda possui como uma deficiência os limites em relação às máquinas virtuais (por exemplo, o tamanho máximo da memória e do disco virtual). Apesar de ser um produto Open Source, é possível adquirir suporte comercial através da Citrix.

Outro ponto negativo é o ecossistema de soluções de gerenciamento e automação, recuperação de desastres/replicação, backup e outras necessidades empresarias que praticamente não são atendidas por software de terceiros ou nativamente pela própria solução.

Em termos de ofertas de infraestrutura em nuvem, talvez o Xen seja o produto mais utilizado, afinal a Amazon Web Services utiliza-se de uma versão do Xen, para prover seus serviços.

O grande desafio do Xen é lutar contra o próprio crescimento de outra solução Open Source (do KVM que como mencionei anteriormente vem crescendo devido a afinidade com o OpenStack). Outra dificuldade é a oferta limitada de uma solução Hiperconvergente baseada em Xen, com o mercado se movendo em direção ao Storage definido por software esta carência pode tornar-se um problema no curto prazo.

Consultor veterano na área de Tecnologia da Informação, com passagem em grandes empresas, graduado em Ciência da Computação com especialização em microeletrônica e gestão de projetos, detentor de diversas certificações de mercado (Microsoft, Cisco, Brocade, Vmware, etc.).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *